terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Escritores - de S a XXL

Cartoonista Angel Boligan

 Tão perto, mas tão distantes

O que observamos nesta figura é, infelizmente, uma realidade: trata-se de uma visão das relações interpessoais na atualidade.
Podemos reparar no contraste entre duas gerações: uma de jovens, abstraídos no seu mundo “online”; outra, de idosos, que aproveitam ao máximo cada momento do mundo que acham o melhor, isto é, a afetividade. Os dois jovens, apesar de tão perto fisicamente, estão muito distantes. Provavelmente não aproveitam a presença um do outro para exprimir qualquer afeto ou simplesmente falarem pessoalmente. Trata-se de um cenário desolador, mas reflete a realidade em que os mais novos demonstram uma” filosofia do culto do fútil” e do individualismo. Não aproveitam os momentos e prazeres únicos e irrepetíveis de uma vida. Estão, erroneamente, convictos de que o que realmente importa é o “status” e o prestígio social que são adquiridos com a exposição pública das suas vidas e da sua intimidade.
Devemos estar cientes de que isto não é mera ficção negativista, é uma realidade cada vez mais presente na sociedade, infiltrada como uma praga, que alastra rapidamente e que abate ou desvanece os laços afetivos.

João Marques
Nº13- 8ºB

Escritores - de S a XXL

Os meus sonhos


O sonho é algo maravilhoso, espetacular e incrível. Também é único e querendo ou não, a lança do sonho atinge-nos sempre.
No entanto, existem sonhos com os quais sonhamos todos os dias. Um dos meus maiores sonhos é ser um grande astro cientista. Manusear os maiores telescópios de sempre, comandar missões até Marte e estar na vanguarda de todo o conhecimento do Espaço. Ou seja, ser um pioneiro da astronomia.
Como é óbvio, não tenho apenas este sonho. Hoje, também sonho em ganhar um campeonato de basquetebol ou então, visitar algumas das mais belas cidades do mundo! Sentir os aromas das especiarias indianas, passear nas cidades onde as pessoas parecem carreiros de formigas e fotografar o Big Ben.
Concluindo, os sonhos transportam-nos e fazem-nos ir aonde ansiamos. Eles podem motivar-nos para o futuro e fazer de nós pessoas melhores.

7º D

Direitos Humanos - Exposições

Grandes Ativistas

Os alunos do 6º B, no âmbito da área curricular de Educação para a Cidadania, pesquisaram personalidades que lutaram pelos Direitos Humanos.
Aqui fica o registo da atividade.



segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Direitos Humanos - Sessões de debate

Ao longo do dia, as atividades e debates foram acontecendo quer em contexto de sala de aula, quer na biblioteca. A partir da exploração de um vídeo e dos ensaios filosóficos, realizados em Filosofia, as turmas do 9º A, B e F, 10º C e 11º A, B e C  apresentaram os seus argumentos e registaram as suas conclusões.





Direitos Humanos - Comemoração

Para celebrar os 70 anos da proclamação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, várias foram as atividades que se realizaram na escola. No período da manhã, os alunos desfilaram alguns dos direitos da DUDH. Nos intervalos, no polivalente, projetaram-se vídeos.






Teatro

Os alunos do 12º ano assistiram à peça "Na Companhia de Pessoa", apresentada pelos "Caixa de Palco".  Esta atividade, realizada em articulação com a área disciplinar de Português, trouxe momentos de humor e de interatividade, sendo também um instrumento potenciador de aprendizagem.





Escritores - de S a XXL


"A importância das palavras"

As palavras têm vários significados e sentidos. Algumas são como um punhal, porque causam dor e tristeza. Outras despertam a calma, o amor e a esperança e, por isso, são como o orvalho.
As palavras são importantes pois guardam os nossos segredos e contam as nossas histórias, têm um saber antigo. Algumas pessoas ficam aflitas, com receio de que alguém lhe descubra os seus segredos, a ponto de estremecerem como os barcos.
As palavras têm vários sentidos e tons. Há palavras que provocam sentimentos positivos e outras provocam sentimentos negativos. Algumas palavras negativas provocam sentimentos positivos pois têm contradições.
As palavras têm vários significados e sentidos, dependendo das pessoas, da sua experiência de vida e do seu modo de sentir. Para as compreendermos devemos relê-las.
Eu já me senti muitas vezes ofendido com as palavras dos meus colegas, quando estes me inferiorizam e me repelem. Por outro lado, há colegas que dialogam comigo, sem me tratarem mal e que me ajudam, por isso eu também os ajudo. Esses são os verdadeiros amigos, que estão sempre dispostos a ajudar-nos. As palavras deles são calmas, meigas e despertam a ternura e a amizade. As palavras dos inimigos despertam a fúria, a dor e a tristeza.
As palavras são importantes, pois ajudam a transmitir as nossas opiniões, emoções, sentimentos e ajudam-nos na nossa importante missão ao longo da vida.
                                                                                           Bruno Esteves   7º B nº 7
                                                                                                                               

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Feira do Livro

Os alunos visitam a Feira do Livro, acompanhados pelos seus professores, como previamente definido. O contacto e a apreciação do livro são fundamentais no processo de formação do leitor.


segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Feira do Livro

Já começou a Feira do Livro.
Ficam algumas fotos de alguns dos títulos que temos disponíveis.



Escritores - de S a XXL

Um excelente (pre)texto para refletirmos...


"A importância do abraço"

    Um abraço. Quanta importância tem um abraço… Nesta imagem é possível observar um gesto ternurento de um homem para com uma mulher. Talvez seja a sua mulher. Talvez o ramo que ela traz seja o mais poderoso símbolo de amor que existiu. Na sua face pode ver-se um sorriso rasgado, possivelmente cheio de inseguranças passadas que se tornaram nas certezas presentes. Este simples abraço, dado no meio de uma rua, próximo a um mercado onde se vendem flores, pode não ser assim tão simples. Este simples abraço, dado no inverno, quando as árvores perdem a folha e a flor, quando a natureza morre, quando os animais hibernam, quando os lagos gelam, quando os céus escurecem, reflecte o calor de um imenso carinho, reflecte o florescer de um sentimento, reflecte o renascer da natureza, reflecte o acordar de toda a fauna, o chilrear dos pardais, o voar das andorinhas, reflecte o degelo dos lagos, reflecte o brilho do sol num céu azul, um mundo que recupera a sua cor. Este simples abraço, poderia ser um abraço repleto de erros cometidos por ambos, poderia ser um abraço repleto de ilusões e desilusões, um abraço repleto de mágoas passadas, que foram levadas pelo tempo. Este abraço poderia ser a mais bela representação da reconciliação, do perdão, da luta pelo verdadeiro amor, que se constrói e destrói, que é belo e doloroso, imperfeito e valioso. Este simples abraço, poderia ser apenas isso, um simples abraço, um abraço cheio de paixão, paixão ardente de um novo começo, um novo relacionamento, de uma nova chama. Poderia ser um ato carinhoso entre duas almas que se amam, que se compreendem, que se respeitam, que partilham o mesmo destino, os mesmos caminhos. E em tudo o que este abraço poderia ser, há algo em comum, é um dos actos afectuosos mais importantes da humanidade.
    Na minha visão, um abraço é extremamente importante, pois este é a tradução da compreensão em calor humano. Um abraço seca lágrimas, arranca sorrisos, salva vidas. Um abraço pode arrancar uma alma do profundo poço da depressão, pode dar significado a uma existência. Um abraço. É esta a importância de um simples abraço…

Inês Pereira 11º C